segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

AMOR - UM PODER DE CURA

Dr. Edward Bach, criador da Terapia floral, disse: “O desenvolvimento do amor nos traz a compreensão da unidade, da verdade de que cada um de nós e todos nós somos parte da única grande criação. A causa de todos os nossos problemas é o ego e a separação, e desaparece assim que o amor e o conhecimento da grande unidade se tornam parte de nossas naturezas.”
Temos falado tanto sobre o amor, sobre a importância da atitude e do pensamento amoroso e da necessidade do ato de amar a si mesmo como o fator mais importante de transformação, cura e evolução pessoal. O próprio Dr. Bach cita Buda quando fala do caminho que conduz o homem à perfeição.  “Buda e outros grandes mestres, de tempos em tempos vêm à Terra para mostrar aos homens o caminho rumo a perfeição. Não existe um meio-termo para a humanidade. A verdade precisa ser conhecida e o homem precisa se unir ao plano infinito de Amor de seu Criador.”

A LEI DO AMOR
Sabemos que os grandes mestres e pensadores se baseiam em verdades irrefutáveis que constituem leis que regem a vida. Uma dessas leis é a Lei do Amor. Por que dizemos que é irrefutável? Porque sua manifestação pode ser observada espontaneamente na Natureza em todos os reinos: mineral, vegetal, animal e humano. 
Então vamos observar que tudo o que existe na natureza é resultado de uma união. É preciso que polaridades opostas (macho e fêmea) se unam para que surja um terceiro elemento inteiro, resultante dessa união. Os Chineses ensinam que Yin (matéria) e Yang (energia) devem se unir para que exista a vida na terra. Cada célula que constitui o nosso corpo compõe-se de duas polaridades de natureza dessemelhantes, unidas por um processo alquímico para produzir mais vida. Por outro lado,  na química, sabe-se que há elementos que não se misturam, assim como água e óleo, ou até com base na biologia, podemos dizer que uma união considerada antinatural de dois organismos vivos gera produtos desarmoniosos.
A essa possibilidade de união entre dois polos opostos vamos chamar de amor. O amor é a alquimia que possibilita a verdadeira união, e somente na presença do amor existe a possibilidade de algo novo ser construído.

Quando ocorre o casamento entre duas pessoas que se amam, ocorre um princípio alquímico natural que une duas partes complementares (o homem e a mulher) para formar um todo, desde um novo ser, uma nova casa, uma nova família, com sua filosofia familiar que será única e harmoniosa, próspera e saudável. Quando o amor não existe verdadeiramente, o resultado pode não ser tão próspero e certamente, não será duradouro dentro da harmonia, da saúde e da felicidade.

ESTUDOS SOBRE O AMOR
Sabemos que esse tipo de pensamento é fruto de observações e sentimentos que a princípio são empíricos. Fatos podem comprovar a forma de pensar, mas nem todas as pessoas se contentam com isso. A credibilidade desse tipo de assunto passa pela necessidade de comprovações de natureza mais cientificas para que possa ser aceita em maior número dentro de uma sociedade ocidental, materialista como a nossa.
Por esse motivo, temos encontrado várias pesquisas que buscam comprovar cientificamente o poder de cura do amor.
Com base nessas pesquisas eu agora afirmo que “o amor e a própria essência da vida. Ar, Agua, alimento e amor  são os elementos indispensáveis a sobrevivência dos seres vivos."
O amor tem sido amplamente estudado por psicólogos na busca do entendimento dos motivos que fazem alguns serem bem sucedidos enquanto tantos sofrem pela falta ou pela confusão que criam em torno de seus relacionamentos pela vida afora.

O AMOR TRANSFORMA A BIOLOGIA
Perceba que o amor não e apenas uma experiência psicológica: ele também transforma a biologia. Observe, por exemplo que plantas tratadas com carinho e amorosidade devolvem esse afeto em forma de belas flores e saborosos frutos  enquanto outras, maltratadas, não vingam. 



Mamíferos recém-nascidos como o ursinho panda (em extinção na China), são afagados por pessoas contratadas para esse fim, uma vez que cada mamãe ursa só dá conta de um bebê urso por vez. Se o segundo ursinho tivesse que esperar até que sua mãe estivesse pronta para lhe dedicar seu amor, ele não sobreviveria.

Deepak Chopra – endocrinologista, diz que “estudos mostraram que a simples visão de um ato de compaixão fortalece o sistema imunológico”. Em Harvard, o psicólogo David McLelland descobriu que enquanto assistiam a um filme que mostrava madre Teresa de Calcutá consolando crianças doentes, tinham sua produção de anticorpos estimulada e aumentada. Diante da visão de cenas de guerra, entretanto, acontecia o oposto, comprovando o aumento da possibilidade de se contrair uma doença diante da presença de um estimulo emocional de falta de amor ou compaixão.
Existem grupos de apoio que dão assistência a pessoas doentes. Na Universidade de Stanford, David Spiege observou a cura crescente entre os doentes que participavam desses programas onde recebem apoios caloroso e afetuosos. Até mesmo um telefonema atencioso pode muitas vezes melhorar o quadro de um doente.



Depak Chopra afirma que “o amor é metabolizado na fisiologia e pode fazer a diferença entre a saúde e a doença." Em Michigan, Dr. James Houston conseguiu afirmar que o simples fato de pessoas participares de programas beneficentes com amorosidade e compaixão aumenta, nelas mesmas, a vitalidade e provavelmente sua expectativa de vida. “Ajudar os outros induz um sentimento de felicidade, acalma a mente e atenua a depressão.”



VOCÊ SABE AMAR?
Concluímos dizendo que “O amor e tão ou mais poderoso do que um remédio”.  Dr. Bach costumava perguntar a seus pacientes: “Você e feliz?” Diante da resposta, ele podia mensurar o grau de amorosidade que envolvia a pessoa, uma vez que felicidade e amor parecem andar juntos e as pessoas mais saudáveis são sempre as mais felizes. Ou seria o contrário?
A verdade é que o ser humano ainda não aprendeu a amar porque nem sequer entendemos direito o que significa amar. Nos reservamos o direito de amar as pessoas da família, um amor seletivo, condicionado e interesseiro que dificilmente ultrapassa a barreira de preconceitos e interesses egoicos. É preciso aprender a amar incondicionalmente, começando pela nossa volta, fazer o bem e exprimir o que temos de melhor com delicadeza, serenidade e compaixão, por seja lá quem for, em troca de nada. E não é preciso muito: um bom dia, um sorriso, a sua atenção, o seu gesto de carinho num  momento difícil. Enfim, o respeito ao próximo, que é o inicio de qualquer ato de amor verdadeiro.
Tudo isso são atitudes tão fáceis e capazes de gerar um ambiente amoroso e o bem estar da coletividade! Aos poucos, esperamos que isso se expanda por si só, pois amor gera amor, e aquele que for bem-amado, também será capaz de amar ao seu redor.



HOLLY - O FLORAL DO AMOR INCONDICIONAL 
Holly é o floral que limpa sentimentos de raiva, ódio, vingança. Observe que todos esses sentimentos são responsáveis pela desunião, pelo sofrimento, pela falta de paz interior. As folhas pontiagudas de Holly ferem e fazem sangrar a um simples toque. 
A essência Holly limpa o coração, remove esse lixo emocional que fere quem o sente e deixa vago o espaço para o perdão. Ao perdoar, você faz as pazes com alguém, você faz as pazes consigo mesmo, você faz as pazes com o amor e com a sua paz interior e com sua capacidade de voltar a ser feliz.





Postar um comentário